="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js">
 
Buscar
  • Ivan Kleber

PRESOS DE GOIÁS COMEÇAM A SER VACINADOS CONTRA A COVID-19




A Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP), sob orientação das secretarias de saúde dos municípios, começou no último dia (19/05), a vacinação da população privada de liberdade contra a Covid-19, seguindo às determinações do Plano Nacional de Imunização (PNI). Cerca de 391 presos já foram vacinados, priorizando o grupo que possui alguma comorbidade ou por faixa etária decrescente.


Foram vacinados detentos das unidades prisionais de Itaberaí, Itapuranga, Jaraguá, Jussara, Cidade Ocidental, Alexânia, Cristalina, Santo Antônio do Descoberto, Buriti Alegre, Corumbaíba, Itumbiara, Piracanjuba, Aragarças, Caiapônia, Indiara, Iporá, Jataí, Padre Bernardo, Planaltina, Rio Verde (Unidade Prisional Regional e Casa de Prisão Provisória), Luziânia (Penitenciária Masculina, Casa de Prisão Provisória e Unidade Prisional Feminina) e Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia (Casa de Prisão Provisória, Central de Triagem, Penitenciária Odenir Guimarães e Penitenciária Feminina Consuelo Nasser).


De acordo com o PNI, o planejamento e operacionalização da vacinação nos estabelecimentos penais deverão ser articulados com as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde e Secretarias Estaduais de Segurança Pública ou correlatos, conforme a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional (PNAISP). Em Goiás, a vacinação acontece à medida em que as secretarias municipais disponibilizam as doses para as unidades prisionais.


A população carcerária entra no PNI como grupo prioritário por ser um grupo vulnerável em situação de maior impacto para casos da Covid-19, já que é difícil estabelecer distanciamento social dentro dos estabelecimentos penitenciários.


Segundo levantamento da DGAP, dos 21.961 presos do sistema penitenciário goiano, 2.309 até a última segunda-feira (24) foram contaminados pelo novo coronavírus desde o início da pandemia. Desses, 2.193 estão recuperados, 43 seguem em tratamento e 11 vieram a óbito.


(Fonte: DGAP)


2 visualizações0 comentário