="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js">
 
Buscar
  • Ivan Kleber

COOPERAÇÃO

O Estado de Goiás poderá receber informações da China sobre o novo coronavírus. A cooperação deve ser feita via teleconferências com profissionais de saúde goianos. Objetivo é discutir técnicas e tratamentos mais efetivos contra o vírus praticadas no país asiático, onde a covid-19 surgiu, mas já chegou ao fim do pico do surto. . O anúncio do acordo foi feito pelo governador Ronaldo Caiado (DEM) durante live nesta terça-feira (24) após reunião entre o chefe do Executivo goiano e o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming. De acordo com Caiado, o embaixador já colocou o país chinês à disposição de Goiás. . A iniciativa propiciará contato das equipes locais com médicos que puderam vivenciar o combate ao coronavírus em Wuhan. A cooperação deve beneficiar, principalmente, o tratamento de pacientes em estado grave. . “Essa experiência não vem no livro. Temos que ter capacidade e sensibilidade, como médicos que somos, para poder avaliar qual é o momento, o que fazer, o que deu certo. Essa oferta foi muito importante, vou fazer chegar a toda a nossa estrutura da Secretaria de Saúde (SES) para que o nosso secretário Ismael [Alexandrino] possa também avançar nesse sentido”, ressaltou o governador. . Sobre as confirmações de coronavírus em Goiás, Caiado disse que o aumento de casos tem sido lento e gradual. “Temos apenas um caso internado até o momento. Isso nos tranquiliza. O acréscimo tem sido lento e bem gradual. É lógico que ninguém comemora isso, mas temos que agradecer [os números baixos]”, afirmou. . MEDIDAS . Durante a transmissão ao vivo, a superintendente de Vigilância em Saúde da SES, Flúvia Amorim, destacou que Goiás agiu rápido e não repetiu o erro de países como a Itália, que, segundo ela, “demorou a entrar com medidas restritivas, de isolamento domiciliar, de cancelamento de aulas”.

0 visualização0 comentário