="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js">
 
Buscar
  • Ivan Kleber

42 milhões devem receber auxílio emergencial até o fim desta semana.




Segundo o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, ''nenhum país fez um movimento deste tamanho com tanta segurança, com tanta rapidez e atingindo aqueles que verdadeiramente mais precisam''.


A estimativa do governo federal é de entregar o auxílio emergencial de ao menos R$ 600 para 42 milhões de brasileiros até o fim desta semana. O anúncio foi feito pelo ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, na tarde desta segunda-feira (20/4). Segundo ele, o objetivo é “não deixar nenhum brasileiro para trás e poder atingir a todos os brasileiros, estejam em que condição estiver, com esse auxílio que é vital para garantir a sobrevivência nesse momento”.


“Nenhum país fez um movimento deste tamanho com tanta segurança, com tanta rapidez e atingindo aqueles que verdadeiramente mais precisam”, enfatizou. O ministro ainda garantiu que até o fim de abril “estaremos bancarizando mais de 20 milhões de brasileiros que nunca tiveram conta bancária e dando condições para que o estado brasileiro enxergue aqueles que eram invisíveis e agora são visíveis”.


O ministro parabenizou o Superior Tribunal de Justiça (STJ) por ter cassado a liminar que permitia a concessão do benefício a pessoas sem um número de CPF ou com o documento em situação irregular. Na semana passada, 76.624 presidiários foram identificados tentando solicitar o coronavoucher. Para Lorenzoni, a regularidade do CPF é a principal forma de se evitar fraudes no pagamento do auxílio.


“É importante lembrar que todo o sistema financeiro brasileiro é estruturado em cima dessa informação (o CPF), e é muito importante que pudéssemos manter a exigência. Só com o CPF, evitamos que mais de 70 mil prisioneiros recebessem o recurso que era direcionado para quem não precisa”, analisou Lorenzoni.

7 visualizações0 comentário